Conversa no Museu de Lamego, com José Pacheco Pereira sobre  A MAIS PODEROSA E DURADOURA INSTITUIÇÃO DO ESTADO NOVO

A Censura, depois chamada de “Exame Prévio”, foi uma instituição fundamental da ditadura do Estado Novo. Durante 48 anos, de 1926 a 25 de Abril de 1974, os portugueses nunca tiveram um dia em que pudessem ler um jornal, revista ou livro, ouvir um programa de rádio, ver um filme ou a televisão, sem que alguém autorizasse o que liam, ouviam, e viam. Apenas a Censura tinha essa liberdade, como Salazar o referiu: ”Só uma entidade, por dever e posição, tudo tem de ver à luz do interesse de todos". E lia, ouvia e via, para nos impedir de ler, ouvir e ver.

O efeito desta longa censura de tudo, que se estendeu durante grande parte do século XX e afectou várias gerações, algumas que nasceram e morreram sem saber o que era a liberdade, moldou muitos aspectos da nossa vida pública, deu aos poderosos o tempo que precisavam para resolver os assuntos incómodos que não podiam deixar de vir a público, e ocultou tudo o que era inconveniente”.


José Pacheco Pereira

15 MAR | SEXTA-FEIRA | 2019

11H30 | Só existe aquilo que o público sabe que existe - José Pacheco Pereira | Museu de Lamego

14H30 | Só existe aquilo que o público sabe que existe - José Pacheco Pereira | Museu de Lamego

Público-alvo | Ensino Secundário e Ensino Superior

Inscrições e Contactos

Museu de Lamego

Largo de Camões 5100-147 Lamego

Telefone
+ 351 254 600 230

E-Mail 
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Site 
www.museudelamego.gov.pt