O mundo é montado todos os dias. Duvidam?

Procurem os agrafos nos cantos das nuvens, as torneiras que enchem os rios, a fita-cola que segura o sol no seu lugar.

Da mesma forma que ideias têm raízes, todas as imaginações têm origens. A Construção do Mundo, livro vencedor do Prémio Branquinho da Fonseca 2017 - modalidade infantil, é um livro cheio de rasteiras e mistérios. Até para o próprio autor. É uma história sobre vergonha, uma mentira, ou uma fábula? A única certeza: às vezes o mundo não tem de ser assim, pode bem ser assado.

Vencedor do Prémio Literário Branquinho da Fonseca 2017, atribuído pelo jornal Expresso e pela Fundação Calouste Gulbenkian, na modalidade infantil, com a obra A construção do mundo, o lamecense Fábio Monteiro tem 28 anos, é jornalista e em 2015 ganhou o Prémio Gazeta Revelação pela série de reportagens “Pendurados num sonho”. 

O Prémio Branquinho da Fonseca, iniciativa conjunta da Fundação Calouste Gulbenkian e do jornal Expresso cuja primeira edição data de 2001, tem como objetivo incentivar o aparecimento de jovens escritores (entre os 15 e os 30 anos) de literatura infantil e juvenil. O Júri é constituído por Ana Maria Magalhães, Rita Taborda Duarte, José António Gomes, António Loja Neves (representante do jornal Expresso) e Maria Helena Melim Borges (representante da Fundação).

Fonte: https://gulbenkian.pt/noticias/premios/premio-branquinho-da-fonseca/vencedores-nona-edicao-premio-branquinho-fonseca/